Qualidades necessárias para aprender Yoga

Fala-se muito sobre as qualidades que um professor deve ter, no entanto para que haja aprendizado é necessário muito mais do que um bom professor, é necessário um aluno qualificado. Afinal de contas o aprendizado está em todas as partes e não acontece somente com um professor transmitindo conhecimento de forma clara e didática. O aprendizado não acontece somente através de aulas ou livros, mas principalmente nas situações do dia-a-dia e nas relações pessoais.


Estamos vivendo em um momento onde as principais características são a velocidade do tempo e o crescente número de professores em relação a alunos. Basicamente o que vem acontecendo é que todos querem se tornar professores, sem ao certo saberem como deve ser o comportamento de um bom aluno e esquecendo muitas vezes que todo professor sempre continua sendo aluno. Aliás, a grande dádiva de ser professor é aprender com os alunos.


O ponto de partida para o aprendizado é existir dentro do aluno o desejo de aprender. Krishna somente começou ensinar Arjuna sobre Karma Yoga, quando ele pediu os ensinamentos, antes disso conversavam como amigos. Então a primeira atitude adequada para aprender é desejar o aprendizado.




Outras duas qualidades essenciais são chama e dama. Chama é o domínio sobre a mente, é ter a capacidade de controlar as distrações da mente e focar a atenção. E para isso é necessário dama, a capacidade de manter os órgãos de percepção sobre controle. Sem deixar que eles andem soltos por onde querem, mas sabendo dirigi-los para os ensinamentos.


Para aprender o aluno deve fazer o que é necessário ser feito por ele. Essa atitude é denominada uparathihi. O aprendizado necessita não somente de atenção e concentração durante a aula, mas de memorização. Por isso é dever do aluno estudar fora do momento de aula. Ele deve ler e repetir os exercícios, fazer as tarefas e a prática diária indicada pelo professor.


Mais do que qualquer qualidade o aluno deve ter thitiksha, esta palavra pode ser traduzida como tolerância, ou também capacidade de fazer esforço contínuo mesmo que com pequenos desconfortos. O aluno deve superar o cansaço, o desconforto de prestar atenção durante horas, de sentar para meditar e principalmente superar o desconforto de se dar conta de que não sabe. É necessário saber suportar o desconforto que é esperar o tempo transformar informação em conhecimento.


Lembre-se que ao aprender qualquer assunto esse desconforto irá aparecer, e ao aprender yoga o desconforto pode ser ainda maior. Através do estudo de yoga queremos nos livrar de condicionamentos que nos aprisionam, queremos nos tornar pessoas melhores e para que isso aconteça o primeiro passo é olhar para si. Quando nos olharmos de frente vemos nossa beleza e também muitas coisas que não queremos ver, vemos nossas fraquezas e insegurança entre outras coisas. É necessário saber superar este desconforto para seguir em frente no caminho do Yoga. Sabemos que nenhuma teoria supera a capacidade de colocar os ensinamentos em prática.


Além disso, para aprender, é necessária uma mente emocionalmente madura e a personalidade integrada. Essa maturidade não tem haver com inteligência, mas sim com a capacidade da pessoa lidar com o mundo de forma que as situações não agitem sua mente. A mente madura olha e vê as situações da forma como elas são, estando livre de condicionamentos e projeções. É necessário que o aluno tenha uma personalidade integrada, que tenha harmonia em si e que haja coerência entre seus pensamentos, fala e ações. Agora calma, pois o próprio processo de viver faz a pessoa adquirir uma mente madura para continuar aprendendo sempre.


Para aprender é necessário shradha. Este termo pode ser traduzido como fé ou confiança, e para isso é necessário entrega. É impossível aprender algo de um professor caso você não confie nele. A confiança é baseada na experiência prática que se tem de um fato. Eu sei que o professor tal é um excelente professor, pois conheço a sua história, sei que meu amigo aprendeu com ele, eu confio porque conheço, caso contrário não há confiança. E sem confiança não há aprendizado.


O aluno deve saber aproveitar o benefício da dúvida. Ter dúvida significa que estamos no caminho para encontrar a solução, ou seja, o esclarecimento da dúvida, por consequência o aprendizado. Lembre-se que após a tempestade sempre vem a calmaria, aqui a dúvida é a tempestade e o aprender a calmaria.


Essas são as qualidades básicas necessárias para um aluno. A princípio estas qualidades não acontecem todas ao mesmo tempo. Caso você perceba que não têm todas essas qualidades, mantenha a calma, continue estudando, continue se observando e mantenha em mente a necessidade destas qualidades, desenvolva-as aos poucos e sempre. Tive um professor na Índia que sempre falava: “Tora Tora”. Com isso queria dizer: devagar, devagar e sempre. E mesmo que você se torne um professor, lembre-se que sempre será um aluno.



O papel do professor.

Acender a chama de sabedoria que existe em cada ser humano.

Mostrar aquilo que não é visto sem uma explicação e nada mais.



 

Camila Reitz pratica e estuda Yoga desde os 18 anos por pura necessidade. Administra todos os “erros” aprendendo sempre com eles. Desenvolveu a metodologia do Hatha Vinyasa Yoga. Ministra cursos de filosofia e prática do Yoga e curso de Formação em Hatha Vinyasa Yoga presencial e on-line. É diretora do Studio Hatha Vinyasa Yoga em Florianópolis, cidade onde vive.